Mostrando produtos por etiqueta: Queixumes dos Pinhos

Cartaz do evento

Continuando o ciclo de atos apresentações dos Clássicos da Galiza e do Arquivo Digital que a Associação Pró Academia Galega da Língua Portuguesa está a realizar por toda a geografia galega, na vindoura sexta-feira, dia 13 de janeiro, serão apresentados na Corunha no Centro Social Gomes Gaioso às 20h30.

Publicado em Info Atualidade

Cartaz do evento

O vindouro 16 de dezembro, sexta feira, terá lugar em Lugo o primeiro dos atos de divulgação do trabalho da AGLP que a Pró vai iniciar. Esta campanha irá apresentando os Clássicos da Galiza e o Arquivo Digital em diversas cidades e vilas galegas. Além da apresentação dos Clássicos e do AD, a ideia é fazer visível a existência e o trabalho da Academia na sociedade galega.

Publicado em Info Atualidade

Eduardo Pondal: Queixumes dos Pinhos e Outros Poemas

Queixume dos Pinhos e Outros Poemas
Eduardo Pondal

Descarregar


Coleção "Clássicos da Galiza": Volume 2

Promove: Academia Galega da Língua Portuguesa. Rua Castelão, nº 27 - 15900 Padrão, Galiza

Coordenação editorial: Heitor Rodal Lopes (Edições da Galiza) e Ernesto Vasques Souza (AGLP)

Adaptação e revisão textual: Ângelo Brea, Fernando V. Corredoira e Carlos Durão

Edição: Edições da Galiza, 2011

ISBN: 978-84-936481-3-8

Depósito Legal: SE-7174-2011

Breve resenha:

Na presente edição, segundo volume da Coleção Clássicos da Galiza da AGLP- Edições da Galiza, o especialista e também poeta Ângelo Brea, destaca, explica e anota facetas e contextos, com que dar a conhecer ao público lusófono um poeta Eduardo Pondal (1835-1917) e uma poesia de características excepcionais.

Cantigas, hinos, poemas... Queixumes, com que a voz e figura Tyrteana do Bardo do Anlhões convoca a mocidade galega para ocupar posto nas primeiras filas da apertada falange que se bate ainda nas Termópilas da língua.

Poesia total, feita ao longo da vida inteira e concebida para ser recitada direita no coração; obra orgânica que se aquilata e retifica em continuada construção e compromisso manifesto com a causa nacional entre 1856 e 1917. Voz intensa e simbólica, modelo de língua e reivindicação do sentido da história da Galiza, que impugna a falsificação da história de Espanha, que mergulha no profundo do ser galego, na paisagem nativa, na toponímia, na natureza selvagem e nas pedras para coletivizar ossiánica o indômito mundo brigantino natal. Mito-cosmos que condensa o Atlantismo galaico como destino de ponte e guia do ibérico, do céltico e do lusófono.

Paixão e pátria, sonho das profecias artúricas das idades, saudade histórica das glórias passadas e das presentes arelas de liberdade conformam os poemas de uma das primeiras e mais importantes figuras daquela geração de precursores que entenderam como programa a restauração da Língua. Popular sendo apenas um moço, cingido da glória revolucionária de Conjo, respeitado até pelos inimigos da língua galega pela sua elegância e potência poética, glória nacional nas horas da maturidade, letrista de um dos mais belos hinos e finalmente mito após o seu passamento.

Forja de uma língua nacional e consciência de fazer dela desde o tosco ferro herdado o ouro restaurador, eis a obra de um dos poetas de maior e mais profunda pegada na literatura do seu país.

Atende viandante: certamente, este era grande cousa. 

Ano de lançamento: 2011

Número de páginas: 306

Pode conseguir o Queixumes dos Pinhos e Outros Poemas escrevendo para pro[@]academiagalega.org ou comprando diretamente na loja Imperdível

Publicado em Clássicos da Galiza