Mostrando produtos por etiqueta: publicação de José Luís do Pico Orjais

sexta-feira, 07 janeiro 2011 17:36

"Ayes de Mi País" apresenta-se no Paço de Tor

Capa de Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares

Cancioneiro foi editado de parceria com aCentral Folque e a AGLP

Neste sábado 8 de janeiro, às 20h30, apresenta-se Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares, o primeiro cancioneiro  musical galego com a edição crítica recentemente publicada por José Luís do Pico Orjais e Isabel Rei em Dos Acordes. A apresentação será no Paço de Tor (Monforte). Haverá um recital de guitarra de Isabel Rei interpretando peças do cancioneiro.

O Paço de Tor, nas imediações de Monforte, acolherá a apresentação do 1º cancioneiro galego de música, coletânea de peças populares até agora inédito na sua versão completa. Precisamente nos ambientes da fidalguia pacega foi onde se desenvolveram as sensibilidades e se reinterpretavam estes temas nas soirées ou veladas musicais em meados do século XIX, muito à moda européia nessa altura. Por esta razão haverá um pequeno concerto de guitarra no ato de apresentação.

Marcial Valladares e a sua família, mantinham este costume no seu paço de Vilancosta (Estrada) e fruto das recolheitas de campo sobre o folclore galego e a sua relação com outros inteletuais e músicos da época, conseguiu formar uma colecão de cantigas  e melodias muito ricas que nunca foram publicadas na sua integridade e que agora vêem a luz numa exaustiva edição do historiador José Luís do Pico Orjais e da intérprete e investigadora Isabel Rei.

Uma publicação muito completa com uma ampla contextualização histórica e material gráfico, assim como as partituras originais e uma transcrição moderna das mesmas, editada em Dos Acordes de parceria com a aCentral Folque e a AGLP.

Marcial Valladares (1821-1903) foi jornalista, poeta, novelista e lexicógrafo galego. Autor do famoso Diccionario gallego-castellano (1884) com 11.000 entradas que recolheu entre 1850 e 1884, ao que incorporou como referência 240 cantigas e 460 textos em prosa, na sua maioria literatura popular. No ano 1970 a Real Academia Galega dedicou-lhe o "Dia das Letras Galegas". O 'Senhor de Vilancosta' foi, sem dúvida, um dos escritores mais prolíficos do Rexurdimento. Como novelista foi o primeiro em publicar em galego (Maxina ou a filla espúrea), obra inicial da narrativa galega.

José Luís do Pico Orjais, é mestre, músico e historiador. Foi Professor de Teoria e Método do Conservatório Folque de Lalim, fundador do grupo Leixaprén e membro habitual do grupo de Maria Manuela. Autor de numerosas conferências sobre o folclore, tem publicado diferentes artigos em revistas especializadas sobre património musical e historiografia dos cancioneiros galegos, tendo publicado a edição crítica do cancioneiro de Inzenga.

Isabel Rei Sanmartim é professora de guitarra no Conservatório Superior de Música de Santiago de Compostela. Intérprete profissional e internacional (Bélgica, Alemanha, Itália, Portugal...) e ganhadora de numerosos prémios para o seu instrumento. É académica da Academia Galega da Língua Portuguesa, fazendo parte da sua Comissão Executiva.

Publicado em Info Atualidade
segunda-feira, 18 abril 2011 02:00

"Ayes de Mi País" na Universidade do Minho

Image

O Centro de Estudos Galegos e o Departamento de Música do Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho, convidaram a professora Isabel Rei e o professor José Luís do Pico Orjais a apresentar Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares, volume editado em Dos Arcordes de parceria com a Central Folque e a AGLP.

Publicado em Info Atualidade

Opúsculo das Artes: A Sanfona de Brocos

Opúsculo das Artes nº 1 - Novembro 2011
A Sanfona de Broncos
José Luís do Pico Orjais

Direção: José Luís do Pico Orjais (Ilha de Orjais)

Produção: Ramão Pinheiro Almuinha (aCentral Folque)

Comité Científico: Tero Rodríguez Castinheiras (coordenadora), Ernesto Vázquez Sousa, Isabel Rei Samartim, Xavier Grova, Joám Evans Pim.

Assessoria Linguística: Paloma Fernández de Córdova

Edita: Ilha de Orjais | Central Folque. Rua dos Mestres 4º 2 Dta. Rianjo

Entidade Colaboradora: Associação Pró-Academia Galega da Língua Portuguesa

Desenho: Orjais

ISSN: em trámite

Creative Commons (CC BY NC SA - José Luís do Pico Orjais)

Índice:

INTRODUÇÃO (p. 4)

ALGUNS DADOS BIOGRÁFICOS SOBRE O AUTOR (p. 5)

O MODELO ICONOGRÁFICO (p. 7)

OS PLANOS DA SANFONA (p. 28)

AS PARTITURAS (p. 38)

SOBRE A SANFONA (p. 69)

CONCLUSÕES (p. 79)

BIBLIOGRAFIA (p. 84)

ÍNDICE DAS ILUSTRAÇÕES E DOS DOCUMENTOS UTILIZADOS (p. 86)

Númeero de páginas: 90

Pode descarregar Opúsculo das Letras: A Sanfona de Isidoro Broncos em formato PDF aqui [4.1 MB]

Publicado em Opúsculo das Artes

Opúsculo das Artes: A Sanfona de Isidoro Brocos

Acaba de vir a lume uma nova publicação de que são parceiros aCentral Folque e o blogue Ilha de Orjais e em que participou como entidade colaboradora a Pró-Academia. Trata-se de uma revista digital, Opúsculos das Artes,  em que serão publicados documentos relacionados com as Artes e cujo primeiro número está dedicado à sanfona e Isidoro Brocos.

Publicado em Info Atualidade
quinta-feira, 03 novembro 2011 01:07

Volume 3: "Cantos Lusófonos: Cancioneiro Popular"

Cantos Lusófonos: Cancioneiro Popular

Cantos Lusófonos: Cancioneiro Popular

Descarregar


Coleção "Clássicos da Galiza": Volume 3

Desenhos: Maria Manuela Diaz Orjales

Coordenação editorial: Heitor Rodal Lopes (Edições da Galiza) e Ernesto Vasques Souza (AGLP)

Adaptação e revisão textual: José Luís do Pico Orjais

Correção textual: Carlos Durão e Fernando Vásquez Corredoira

Promove: Academia Galega da Língua Portuguesa. Rua Castelão, nº 27 - 15900 Padrão, Galiza

Edição: Edições da Galiza, 2011

ISBN: 978-84-936481-4-5

Depósito Legal: SE-7169-2011

Breve resenha:

Com este Cantos lusófonos. Cancioneiro Popular, José Luis do Pico Orjais, apresenta-nos, fruto da sua pesquisa no âmbito da historiografia musical e do seu gosto, setenta peças tiradas de cancioneiros galegos, portugueses e brasileiros.

Com duas breves e intensas apresentações de Uxía Senlle e Ugia Pedreira vão cá aquelas letras, lidas uma e outra vez dos principais cancioneiros, postas em papel por Casto Sampedro, Lopes-Graça ou Veríssimo de Melo, escutadas e interpretadas até criarem na memória musical do editor um bom stock de canções tradicionais que agora se oferecem ao público, acompanhadas de partitura e em formato popular para serem tocadas e cantadas.

Trabalho necessário e urgente, com vocação de esperançadora mensagem. Espelho e esponja viva que larga a música tradicional galega na corrente lusófona infinita, para compreendermos e desfrutarmos a perspectiva total de que somos parte. Convidando à festa, à participar da música e do canto, agrupam-se as melodias por blocos, não com critérios taxonômicos, senão mais bem colocando o repertório tal e como o editor na sua experiência gostaria de tocá-lo jeitoso.

Cumpre com este volume a AGLP o desejo de ver editado, em conjunto lusófono e para público lusófono, parte destacada do acervo da nossa cantiga popular. Obrinha muito útil, seguindo as linhas populares das Edições da Galiza, que a paixão de um mestre, a experiência de um intérprete e a erudição de um historiador da cultura galega convertem não apenas num repertório divulgativo quanto numa ferramenta de comunicação destinada a recuperar o canto nos espaços populares, educativos, associativos, festeiros.

Vou já cantar as cantigas, para que fui convidado.

Ano de lançamento: 2011

Número de páginas: 209

Pode conseguir o Cantos Lusófonos: Cancioneiro Popular escrevendo para pro[@]academiagalega.org ou comprando diretamente na loja Imperdível

Publicado em Clássicos da Galiza