Categoria: Info Atualidade Acessos: 2427

O evento foi aberto com a execução do Hino Nacional brasileiro pelo Coral e Orquestra do IF-SC, seguido da composição da mesa e as discursos.

Em seu pronunciamento, a presidente do ICBG no Brasil, Silmara Pezzoni Annunciato destacou a importância da aproximação de brasileiros e galegos, através do novo Instituto: “O ICBG nasce em ótima hora do desenrolar de nossa história, numa hora de urgência para se levar aos brasileiros um despertar quanto à importância de suas participações no processo de transformações sociais, econômicas e cidadãs que se mobilizam internacionalmente no entorno de nosso idioma.Conhecer e estudar a Galiza, para os brasileiros significa um despertar de consciência quanto à importância da língua em nossas vidas e para a cultura de nosso povo.

O acadêmico da AGLP, Joám Evans Pim, delegado da AGLP no Brasil e um dos idealizadores do ICBG anunciou o fim de seu mandato como delegado e acrecentou: “Hoje chega ao fim o meu mandato como Delegado, mas é uma honra e um prazer imenso entregar o bastão da causa do português da Galiza no Brasil ao novo Instituto. Esta bandeira da Galiza, tributo da AGLP, é um símbolo desse laço de união e da mais sincera expressão de agradecimento do povo galego, e da nossa Academia que está ao seu serviço, aos 190 milhões de brasileiros, pelo seu apoio e solidariedade lusófona com os quase três milhões de galegos que se debatem cada dia pela sobrevivência da nossa comum língua portuguesa na Galiza, terra onde ela nasceu”.

Em nome da AGLP e do povo galego discursaram Concha Rousia, presidente do ICBG na Galiza e a académica Isabel Rei Sanmartim, Tesoureira da AGLP. A primeira expressou seu contentamento e os planos do Instituto de aproximação cultural, e concluiu: “Galiza tem sobra passado; o Brasil tem sobra futuro; os dois juntos formam uma eternidade de passado e futuro”.

Isabel Rei, como acadêmica da AGLP, apresentou a edição do 3º Boletim da AGLP com as homenagens ao brasileiro Prof. Evanildo Bechara da ABL e também falou sobre literatura galega, em especial, sobre Rosália de Castro.

Mário Osny, Concha Rousia, Joám Evans e Isabel Rei

Mário Osny, Concha Rousia, Joám Evans e Isabel Rei

Encerramento emocionante

O momento mais emocionante e simbólico ficou reservado para o final, quando o Prof. Joám Évans Pim, passou às mãos da presidente do ICBG do Brasil, Silmara Annunciato, a bandeira da Galiza representando o desejo de manter acesa a chama galega em todo o Brasil.

A galega Isabel Rei encerrou o cerimonial com o Hino da Galiza, cantado e acompanhado em solo de violão, seguiu-se o “Recital Poético com Concerto de Violão” por Isabel Rei e Concha Rousia e a apresentação do grupo musical brasileiro Portal do Choro.

Fonte: