Capa de Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares

Cancioneiro foi editado de parceria com aCentral Folque e a AGLP

Neste sábado 8 de janeiro, às 20h30, apresenta-se Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares, o primeiro cancioneiro  musical galego com a edição crítica recentemente publicada por José Luís do Pico Orjais e Isabel Rei em Dos Acordes. A apresentação será no Paço de Tor (Monforte). Haverá um recital de guitarra de Isabel Rei interpretando peças do cancioneiro.

O Paço de Tor, nas imediações de Monforte, acolherá a apresentação do 1º cancioneiro galego de música, coletânea de peças populares até agora inédito na sua versão completa. Precisamente nos ambientes da fidalguia pacega foi onde se desenvolveram as sensibilidades e se reinterpretavam estes temas nas soirées ou veladas musicais em meados do século XIX, muito à moda européia nessa altura. Por esta razão haverá um pequeno concerto de guitarra no ato de apresentação.

Marcial Valladares e a sua família, mantinham este costume no seu paço de Vilancosta (Estrada) e fruto das recolheitas de campo sobre o folclore galego e a sua relação com outros inteletuais e músicos da época, conseguiu formar uma colecão de cantigas  e melodias muito ricas que nunca foram publicadas na sua integridade e que agora vêem a luz numa exaustiva edição do historiador José Luís do Pico Orjais e da intérprete e investigadora Isabel Rei.

Uma publicação muito completa com uma ampla contextualização histórica e material gráfico, assim como as partituras originais e uma transcrição moderna das mesmas, editada em Dos Acordes de parceria com a aCentral Folque e a AGLP.

Marcial Valladares (1821-1903) foi jornalista, poeta, novelista e lexicógrafo galego. Autor do famoso Diccionario gallego-castellano (1884) com 11.000 entradas que recolheu entre 1850 e 1884, ao que incorporou como referência 240 cantigas e 460 textos em prosa, na sua maioria literatura popular. No ano 1970 a Real Academia Galega dedicou-lhe o "Dia das Letras Galegas". O 'Senhor de Vilancosta' foi, sem dúvida, um dos escritores mais prolíficos do Rexurdimento. Como novelista foi o primeiro em publicar em galego (Maxina ou a filla espúrea), obra inicial da narrativa galega.

José Luís do Pico Orjais, é mestre, músico e historiador. Foi Professor de Teoria e Método do Conservatório Folque de Lalim, fundador do grupo Leixaprén e membro habitual do grupo de Maria Manuela. Autor de numerosas conferências sobre o folclore, tem publicado diferentes artigos em revistas especializadas sobre património musical e historiografia dos cancioneiros galegos, tendo publicado a edição crítica do cancioneiro de Inzenga.

Isabel Rei Sanmartim é professora de guitarra no Conservatório Superior de Música de Santiago de Compostela. Intérprete profissional e internacional (Bélgica, Alemanha, Itália, Portugal...) e ganhadora de numerosos prémios para o seu instrumento. É académica da Academia Galega da Língua Portuguesa, fazendo parte da sua Comissão Executiva.

Publicado em Info Atualidade

Image

O Centro de Estudos Galegos e o Departamento de Música do Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho, convidaram a professora Isabel Rei e o professor José Luís do Pico Orjais a apresentar Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares, volume editado em Dos Arcordes de parceria com a Central Folque e a AGLP.

Publicado em Info Atualidade

Professora Isabel Rei

A Associação Galega Corredor do Henares convidou para quinta-feira, 12 de maio, a professora e acadêmica Isabel Rei Sanmartim a apresentar mediante uma palestra, Ayes de mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares.

Publicado em Info Atualidade

Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares

Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares

Edição: Dos Acordes, de parceria com aCentral Folque e a Academia Galega da Língua Portuguesa

ISBN: 978-84-936618-1-6

Sinopse:

O trabalho com um cancioneiro é sempre um labor de comparação e limpeza, já que cada leitura se torna numa actualização do registro. O investigador tem que saber que na corrente de custódia que vai do informante até o neo-utente do objeto folclórico, há sempre uma perda de informação difícil de recuperar.

Do ponto de vista do bibliófilo, no caso de Ayes de Mi País estamos ante o melhor dos palcos possíveis. O autor é uma personalidade no mundo da cultura da Galiza e da sua obra literária e filológica há uma considerável bibliografía posto que se lhe tem rendido tributo com a celebração em seu nome do Dia das Letras Galegas de 1970.

Do texto em questão, Ayes de Mi País, contou-se com um manuscrito autógrafo e dois apócrifos, vários fragmentos autógrafos mais, e uma considerável tradição indireta. A sua parte literária foi já publicada pelos biógrafos de Marcial Valladares, pelo qual optamos por uma edição diplomática.

Com as partituras foi imprescindível a edição do facsímile, toda a vez que como álbum fica a dia de hoje inédito, e porque se trata de uma obra original de uma grande singularidade temporária; foi escrita em 1865 de punho e letra do seu autor, o que a situa na pre-história da bibliografía etnomusical galega ao tempo que a converte num autêntico tesouro, património histórico-artístico do nosso País.

Esta edição crítica quer achegar ao leitor uma partitura atualizada, depurada de erros, asseada antes de ser apresentada em público. Para pôrem em papel esta edição crítica os autores arrecadaram não só as diferentes variantes de cada número do Ayes..., como também puseram baixo o microscópio cada uma das criações musicais de Marcial Valladares, escassas, mas igualmente pertinentes.

Ano de lançamento: 2010

Número de páginas: 290

Pode solicitar Ayes de Mi País: o Cancioneiro de Marcial Valladares escrevendo para pro[@]academiagalega.org ou comprando diretamente na loja Imperdível

Publicado em Outras Publicações

AGLP

Cantares Galegos e Ayes de mi País a partir de 18h na livraria Couceiro de Compostela

O próximo 26 de junho, de manhã, terá lugar em Compostela uma reunião do Pleno da Academia Galega da Língua Portuguesa. A assembleia será aberta pelo seu presidente, Prof. José-Martinho Montero Santalha e contará com a participação da maior parte dos académicos e académicas. No fim da reunião realizar-se-á um jantar num local da cidade.

Já de tarde está preparada apresentação de duas recentes publicações em colaboração com a Academia:

  • O poemário Cantares Galegos, em edição de Higino Martins, que representa o primeiro número da coleção Clássicos da Galiza, resultado de um acordo de publicação da AGLP com as Edições da Galiza.
  • O Cancioneiro de Marcial Valladares, intitulado Ayes de mi País, em edição de José Luís do Pico e Isabel Rei Sanmartim, publicado pela editora Dos Acordes com a colaboração da Central Folque e a AGLP.

A reunião terá lugar às 11 horas no Salão de Plenos do Centro Galego de Arte Contemporânea.

As apresentações decorrerão a partir das 18 horas na livraria Couceiro de Compostela e incluirão um recital de poesia e música.

Publicado em Info Atualidade