Categoria: Info Atualidade Acessos: 1838

     

Maria Dovigo e Mário Herrero, novos membros numerários da AGLP

O dia 28 de junho teve lugar em Santiago de Compostela uma nova sessão plenária da Academia Galega da Língua Portuguesa. Na reunião produziu-se a aprovação do procedimento para a admissão de novos membros, em cuja aplicação resultaram eleitos os novos membros numerários: Maria Seoane Dovigo e Mário Herrero Valeiro, que ocuparão as cadeiras 31 e 32 respetivamente. Em ambos os casos foram eleitos em primeira votação, por maioria absoluta de todo o censo de membros numerários.

Maria Seoane Dovigo nasceu na Corunha em 1972. É Licenciada em Filologia Hispânica pela Universidade da Corunha, onde seguiu também os cursos de doutoramento. É autora de diversos trabalhos de divulgação da língua e a cultura da Galiza em Portugal. Desde 2000 reside em Portugal, onde exerce como docente de Ensino Médio. Participa habitualmente como oradora em diversos eventos de caráter lusófono e ostenta a delegação da AGLP em Lisboa.

Mário Herrero Valeiro nasceu na Corunha em 1968. É Licenciado em Filologia Hispânica pela Universidade de Santiago de Compostela e Doutor pela Universidade da Corunha. É autor de vários livros de poesia: No limiar do silêncio. Poemas da estrangeirice, Ed. Espiral Maior, 1999; Cartografia da Atrocidade, Lisboa, Edições Tema, 2001; Outra vida (22 poemas, uma confissão e um esclarecimento), Através Editora, 2013. No campo da sua especialidade como linguista e investigador, publicou numerosos trabalhos sobre temas de sociolinguística galega, entre os quais se deve destacar o livro Guerra de grafias, conflito de elites, Através Editora, 2011.

Registou-se ainda a apresentação do número 6 do Boletim, e o livro do académico Ramom Reimunde O tesouro do monte, em cuja edição colabora a Fundação AGLP. Deu-se conta, também, da recente edição, pela Fundação Meendinho, da tese de doutoramento do académico e vice-presidente Isaac Alonso Estraviz Os falares dos concelhos de Trasmiras e Qualedro, um grosso volume de 774 páginas.

A Fundação AGLP acusou receção da doação do espólio do membro de honra José Luís Fontenla Rodrigues, materiais que serão classificados, ordenados e oportunamente disponibilizados para investigadores.